Home / Comércio Eletrónico /

Crescimento constante do comércio eletrónico em 2015

Crescimento constante do comércio eletrónico em 2015

 

No blog Estratégia Digital já falamos mais do que uma vez do valor do comércio eletrónico. Embora encarado no início do novo milénio como uma prática peculiar e estranha, repleta de mitos acerca dos métodos de pagamento digitais, hoje o comércio eletrónico encontra-se já bastante enraizado na nossa sociedade, tendo revolucionado por completo a forma como fazemos compras.

Desde que uma pizza foi vendida na Internet, na década de 80, oficializando assim o início da história do comércio eletrónico, já muito se caminhou. Recentemente, até a forma como viajamos acontece pela Internet, passando por aplicações como o Uber, que nos permite chamar um simples carro para nos levar a um certo destino e plataformas gigantescas como o TripAdvisor, que permite planear férias sem recorrer a agência de viagens.

É perante este mundo em constante evolução e crescimento que ficamos satisfeitos ao confirmar os mais recentes números estatísticos referentes a este mercado. O comércio eletrónico continua mesmo a crescer por todo e mundo e Europa, e promete continuar a crescer e a tocar cada vez mais qualquer tipo de negócio, desde as grandes corporações aos negócios de retalho.

O crescimento do comércio eletrónico promete não parar

De acordo com dados revelados pela Ecommerce Europe – uma associação de empresas europeias de comércio eletrónico – as compras online conseguiram gerar cerca de 455,3 mil milhões de euros durante o ano de 2015 no território europeu. Por outras palavras, isto significa também uma subida de 13,3% do valor arrecadado em 2014.

Estes números tão positivos fazem parte do mais recente B2C E-commerce Report, documento no qual a associação aponta para a existência de cerca de 296 milhões de ciberconsumidores. Entre estes consumidores digitais no Velho Continente, estima-se que cada um tenha gasto uma média de 1.540 euros em compras online ao longo do ano em questão.

 

Sem surpresas, são países como o Reino Unido, a França e a Alemanha a liderar as vendas que resultam neste saldo positivo. Somadas, as três nações europeias representam 60% das receitas totais do comércio digital. Entretanto, os números confirmam que o Reino Unido lidera com o mercado Bussiness to Consumer de maior dimensão (cerca de 157,1 mil milhões de euros) e um gasto médio por compra (3.625 euros).

Todavia, é a Alemanha quem tem mais “cibercompradores”, já que arrecadou 51,6 milhões de euros contra os 43,4 milhões de euros do Reino Unido. Quanto a mercados em crescimento, claro destaque para a Ucrânia, a Turquia e a Bélgica que cresceram, respectivamente, 35%, 34,9% e 34,2%.

O relatório da Ecommerce Europe destaca que o impacto do comércio eletrónico Business to Consumer na economia europeia tem vindo a aumentar e que tal crescimento deverá na verdade continuar nos próximos anos. Para 2016, por exemplo, espera-se que as vendas ultrapassem os 510 mil milhões de euros e que tal valor seja suplantado , uma vez mais, quando se atingirem os 598 mil milhões. E o mesmo acontecerá em 2018, ano em que se espera que o comércio eletrónico seja capaz de gerar 660 mil milhões de euros.

Por fim, as estimativas otimistas tornam-se mais brilhantes ainda quando percebemos todo o espaço que ainda há para crescer, com a Ecommerce Europe a assinalar que para já apenas 43% da população europeia faz compras através da Internet.

OCTOSUITE

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

[instagram-feed]