Home / Estratégia Digital /

Programa de Inteligência Artificial ganhou jogo de Poker pela primeira vez

Programa de Inteligência Artificial ganhou jogo de Poker pela primeira vez

Pela primeira vez uma tecnologia de Inteligência Artificial, chamada Pluribus, venceu uma partida de poker. Tudo aconteceu numa maratona de 12 dias do Texas Hold’em, que representa uma das modalidades de poker mais populares nos casinos.

Numa prova contra 5 profissionais do jogo, alguns deles considerados dos melhores jogadores do mundo, o Pluribus não apenas ganhou o jogo como arrecadou US$ 48 mil virtuais.

“É a primeira vez que uma IA atinge um desempenho tão bom quanto o de um humano num jogo multiplayer”, afirmou Tuomas Sandholm, o professor que desenvolveu o Pluribus em parceria com o aluno Noam Brown na Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos da América.

O criador deste programa de Inteligência Artificial defendeu a ideia de que a capacidade de vencer 5 pessoas vem abrir novas oportunidades para esta tecnologia revolucionária, nomeadamente para resolver questões do mundo real, como estratégias de negociação, investimentos, jogos de guerra ou mesmo ajudar nas decisões que os candidatos políticos dos EUA fazem com publicidade.

Esta novidade tecnológica pode ainda ter impacto em apostas de jogos de futebol, que se realizam em plataformas como a Bet Clic, por exemplo.

Como a Inteligência Artificial aprendeu o jogo de poker

O software Pluribus assimilou estratégias utilizadas por profissionais, de modo a jogar o Texas Hold’em com elevado nível de eficácia. Na verdade a tecnologia usou apostas diferentes, o que é algo complexo que até mesmo os seres humanos consideram difícil de executar.

Por exemplo: os jogadores habitualmente evitam a chamada donk betting (que corresponde a uma prática de terminar a primeira ronda de apostas com uma chamada e abrir a próxima com outra aposta), mas o Pluribus usou esta tática para vingar no jogo.

Noutro desafio, a tecnologia venceu 2 profissionais de renome, ou seja, Darren Elias (actual detentor do recorde de mais títulos do World Poker Tour) e Chris Ferguson (que já ganhou 6 torneios do World Series of Poker).

Ambas as derrotas ocorreram após cada um dos jogadores jogar cinco mil mãos contra a Inteligência Artificial. No final, Chris Ferguson confessou que “o Pluribus é um adversário muito difícil”.

Segundo as explicações dos pesquisadores publicadas num artigo na revista Science, o programa Pluribus aprendeu a jogar poker através de provas realizadas contra si mesmo.

Nesses jogos ele precisa apenas de 20 segundos para jogar uma mão, o que revela que é 2 vezes mais rápido do que um profissional consegue executar.

A tecnologia é executada com 2 processadores Intel Haswell e usa 128 GB de memória durante os jogos.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     

Share this article

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

[instagram-feed]