Home / Comércio Eletrónico /

Vai abrir um negócio digital? 8 dicas para poupar dinheiro

Vai abrir um negócio digital? 8 dicas para poupar dinheiro

 

Já pensou em abrir um negócio? Infelizmente, o mercado parece pouco animador para quem tem grandes ideias mas não tem financiamento. O cenário de crise económica que se alastra por todo o mundo obriga as novas gerações de empreendedores a pôr na gaveta os seus projetos (ainda que sejam bons) porque nada lhes garante que vá correr bem. Os que se atrevem a  correr riscos têm, por vezes, sorte. Todavia, a maior parte acaba por se endividar e declarar falência.

Manter um projeto não sai barato: basta pensarmos na renda de aluguer de um espaço, na contratação de mão-de-obra, nas contas da luz, da água… e sem acrescer ainda os custos de manter um site. Mesmo que menores, os sites têm sempre um custo ao outro a entrar no orçamento.

Mas e se pusesse de lado a ideia de abrir um negócio físico e adotasse o digital para dar vida ao projeto? Verdade seja dita, a Internet proporciona o cenário ideal para fundar as bases de um negócio. Neste post, sugerimos por isso algumas dicas para que consiga abrir o seu negócio na Internet e poupando algum dinheiro.

Poupar nos recursos e nas despesas

Numa fase inicial, naquela altura em que ainda não sabe bem se a ideia é realmente viável, o melhor é jogar pelo seguro e não gastar mais do que realmente necessita. Em vez de alugar um escritório ou qualquer outro espaço, pode começar por trabalhar em casa, no café ou até na biblioteca. Partindo do mesmo pressuposto e imaginando que precisa de se deslocar ou fazer entregas, não comece por comprar já o carro da empresa: use a sua viatura pessoal e veja primeiro no que dá.

Não se aventure sobre o que não sabe

Por muito lucrativo que possa parecer um nicho do mercado, não se aventure para essa área se não a dominar. Se envolver habilidades e conhecimentos técnicos específicos, pondere realmente no que está a fazer. A ideia é que o negócio seja um reflexo das capacidades que melhor domina e, acima de tudo, gosta de fazer. Assim, quanto mais fizer sem depender de terceiros, mais proficiente conseguirá ser.

Autopromova-se no dia-a-dia

O primeiro passo para uma grande rede de contactos está no boca-a-boca e no contacto online. Não custa nada enviar um e-mail a informar amigos da sua nova aventura profissional ou então ir comentando numa conversa de café, aqui e acolá. Verá que as pessoas com que fala serão os seus clientes ou então os primeiros a recomendar o seu trabalho. A propósito dos clientes, garanta que todos saem satisfeito: só assim é que aconselharão o seu trabalho a outras pessoas. Depois, claro, há também todo um trabalho a fazer nas redes sociais e na Internet.

 

Não se esqueça do pré-pagamento

Um dos maiores riscos, especialmente quando falamos em negócios relacionados com a prestação de serviços, está no pagamento. E se o trabalho que fizer, todas as horas que se dedicou a um cliente, não forem pagas no final de tudo? O cliente decide não pagar e desaparece para sempre? Pondere na possibilidade de cobrar o serviço/produto antes de o prestar ou, na impossibilidade de o fazer, de cobrar pelo menos metade do valor na fase inicial do trabalho.

Seja poupado

A criação de um negócio envolve sempre inúmeros custos mas, felizmente para si, alguns deles podem ser evitados. Imaginemos que o negócio que tem em mente até acaba por não funcionar depois de dois anos no mercado. Ao encerrar a empresa, descobre que ainda tem inúmeras caixas com cartões de visita que nunca foram utilizadas mas pelos quais pagou cerca de 1000 euros. Na verdade, só precisava de ter gasto 250 euros em cartões de visita, porque não utilizou tantos como achava que ia. Sugerimos que seja poupado e faça investimentos, nos primeiros meses, que se foquem apenas no curto-prazo.

Procure ferramentas que o libertem

Numa fase inicial, nem sempre há dinheiro para um designer, um contabilista nem tão pouco uma secretária. O que é que isto significa? Significa que você vai ter de aprender a fazer coisas que nunca fez e em que está longe e ser especialista. Felizmente, atualmente existem ferramentas online para tudo e mais alguma coisa. O próprio telemóvel pode ser um excelente substituto da secretária que lhe diz quando é a próxima reunião. A partir daí, só tem de se organizar em termos de tempo.

Não pague por tecnologia que pode ter grátis

Criar um site tem sempre custos associados, como o alojamento, a compra do domínio e, claro está, os múltiplos programas informáticos para executar funções como escrever posts, cortar fotografias, editar vídeos, entre outros. Infelizmente, tudo isso tem um custo associado que pode ser completamente evitado. No nosso blog preparamos um post sobre ferramentas grátis que relembramos neste tópico, esperando que possa aliviar nas despesas da sua empresa.

Férias? Nem vê-las

O título do tópico pode ser um bocado exagerado, já que todos precisamos de descansar. Mesmo assim, não espere que na fase inicial do seu negócio tenha tempo para férias de um mês à descoberta de países exóticos. O facto de ser só você pressupõe que dedique muito tempo ao seu trabalho e que esteja disponível e contactável. Obviamente que terá o tempo livre contado, mas o truque está em trabalhar muito quando se está a trabalhar e descansar muito quando se está a descansar. Como diz o ditado, há tempo para tudo!

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
Mídia Kit Blog Estratégia Digital

Share this article

Comentários

  • 25 January, 2016

    Adorei o artigo e concordo que com alguma análise prévia e responsabilidade, é possivel criar um negócio sem gastar muito dinheiro.

    Isso leva tempo, esforço e dedicação e apenas se começa a ver “rendimentos” se fizerermos o TED todos os dias e horas. Especialmente em online!

    Cumprimentos

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

[instagram-feed]