Home / Redes Sociais /

Ello: a rede social sem publicidade é o próximo Facebook?

ello

Ello: a rede social sem publicidade é o próximo Facebook?

    

A Ello chegou em Março de 2014, apresentando-se na Internet como a primeira rede social livre de anúncios publicitários. Através de um design simples e elegante, os artistas Paul Budnitz e Todder Berger esperavam criar uma rede privada de trabalho mas perceberam rapidamente o potencial que a Ello teria para crescer se fosse aberta ao público.

Ao contrário do que acontece com redes sociais como Facebook e Twitter, que vivem a partir do lucro gerado pela publicidade, a Ello compromete-se a salvaguardar toda a navegação do utilizador. Isto significa que, além de impedir a publicação de anúncios, a Ello não vende os dados pessoais dos seus utilizadores a empresas publicitárias.

Esta rede livre e ativista tem sido tema de conversa em todo o mundo. Enquanto alguns acreditam que será o próximo Facebook, outros defendem que o sistema da Ello nunca poderá funcionar.

Afinal, como é que uma rede sem publicidade vai impactar a maior rede social do mundo? Neste post, fazemos uma análise profunda à Ello e tentamos perceber até que ponto é que poderá impulsionar a saída de membros do Facebook.

Conheça a melhor ferramenta para Facebook e Instagram!

social-autoboots-novo-banner

Ello: o primeiro impacto

O primeiro impacto causado pela Ello foi enorme. Em Setembro, pela altura em que a rede se deu a conhecer, levantou-se de imediato uma onda de curiosidade: os utilizadores não se podiam registar. Para entrar na rede precisavam de receber um convite de alguém que já fosse utilizador ou solicitar um e esperar cerca de 5 dias.

A conclusão foi mais do que evidente: na primeira hora, mais de 35 mil pessoas pediram o seu convite. Neste momento, conta com mais de um milhão de pessoas registadas.

Para solicitar o seu convite, INSCREVA-SE AQUI.

Ello: minimalista… demais?

Fundada por 7 empreendedores que combinam entre si talentos de programação e design, a Ello apresenta-se com um aspeto muito limpo, variando as suas cores entre o branco, o preto e o cinzento. É quase até estranho para quem está habituado ao Facebook: parece que falta ali alguma coisa. A única cor que é dada à rede vem dos conteúdos dos utilizadores. Tudo o resto não importa. Está lá apenas para sustentar o importante: o que vai na mente de quem publica.

A estrutura do website também não é complexa. Fácil de navegar e intuitiva, está tudo pensado para que o utilizador consiga conhecer às funcionalidades básicas em menos de dez minutos.

No que diz respeito às publicações, encontramos algumas diferenças se compararmos diretamente com o Facebook. Apesar de permitir texto e imagens estáticas, a Ello permite também a publicação de imagens em movimento com o formato .GIF, tão famosas no Tumblr. Para a versão beta fica a faltar o vídeo e o chat que farão, certamente, parte do futuro.

Na Internet, as opiniões divergem. Uma grande maioria, constituída principalmente por designers, elogiou o layout minimalista da Ello. Por outro lado, há também quem ache que a Ello é minimalista demais. Bona Kim da Gizmodo – um blog de design e tecnologia – criticou o aspeto visual da rede social, acreditando que se trata apenas de uma forma de atacar o Facebook.

ST_Ello_600

Ello: amigos ou ruído

A Ello obriga-o a organizar os seus contactos em dois tipos de lista: amigos ou ruído. Ao seguir alguém, tem de decidir no momento para que lista o quer enviar. A sua privacidade é salvaguardada: ninguém fica a saber para que lista é que você o mandou.

Desta forma, as publicações são segmentadas entre aquilo que os seus amigos mais próximos publicam e as publicações que são feitas pelos contactos que são meramente conhecidos.

 

Para encontrar novos utilizadores, existem três opções:

1 – Discover – Trata-se de um separador no lado superior esquerdo que recomenda perfis relacionados com a sua lista atual de contactos.

2 – Aleatório – Uma opção qie apresenta perfis de forma aleatória para que possa assim descobrir novas pessoas.

3 – Pesquisa – Como no Facebook, existe um motor de pesquisa. Se digitar “Portugal”, surgem de imediato alguns resultados.

Está tudo pensado para que a navegação seja rápida e fluída. A plataforma integra ainda pequenas transições, que tornam a navegação ainda mais apelativa, e que nos fazem lembrar as aplicações que temos nos telemóveis.

Ello: será o próximo Facebook?

A Internet tremeu ao receber a nova rede social. Durante semanas, debateu-se se a Ello seria ou não o próximo Facebook. Agora que o impacto começa a passar, as respostas começam a surgir:

Não, o Ello não vai ser o próximo Facebook. A novidade foi interessante, mas falta aqui um ingrediente revolucionário. Trata-se apenas de mais uma outra rede social que combina funcionalidades do Facebook, Twitter e Tumblr e tem ainda muito para crescer: vídeos, chat e interação com outras aplicações.

A novidade que a Ello traz diz respeito à forma como vê os utilizadores, assumindo como missão a promessa de que “os dados dos utilizadores nunca serão vendidos a entidades externas”, ao contrário do que alegadamente acontece com outras redes sociais.

LEIA NO NOSSO BLOG OUTROS ARTIGOS RELACIONADOS:

Comentou no Facebook? Está despedido

Portugal é um dos países da UE que mais usa as redes sociais

Conseguimos sentir afetos quando estamos no Facebook?

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Share this article

Comentários

    Deixe um comentário

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    [instagram-feed]