Home / Casos de sucesso de Estratégia Digital /

Os produtos online mais vendidos durante a pandemia COVID-19!

Os produtos online mais vendidos durante a pandemia COVID-19!

Share this article

 

O contexto excecional que vivemos motivou alterações transversais nos hábitos de consumo da população. Estas verificam-se não apenas quanto à forma como se adquire ou contrata mas, antes de mais, no que diz respeito ao tipo de produto ou serviço que se procura.

Hoje, videojogos, artigos de fitness, de supermercado e “food delivery” estão entre os produtos mais vendidos na internet, destacando-se como aqueles que melhor se deram com a alteração conjuntural.

Em tempos de pandemia da Covid-19, o comércio eletrónico tem crescido exponencialmente. Com as medidas de distanciamento social em vigor e o dever de recolhimento declarado, os hábitos de consumo um pouco por todo mundo alteraram-se, assim como o ranking dos produtos mais vendidos na internet. E Portugal não foi exceção a esta tendência geral, havendo já análises que comprovam a mudança em curso.

Segundo os mais recentes estudos, as compras em loja representavam 92% de 10 a 15 de Março, ao passo que as compras online situavam-se na ordem dos 8% no mesmo período. De 23 a 29 de Março, as compras online subiram para 33%, enquanto que as compras em lojas físicas diminuíram para 67%. Os números são claros e a tendência das vendas online é para manter.

Produtos online com mais sucesso

Videojogos, artigos de fitness, supermercado e “food delivery” estão entre os produtos mais vendidos na internet, no contexto actual.

Segundo um estudo da Revolut, os produtos mais procurados durante a pandemia têm sido de setores como o gaming e videojogos, com mais de 200% de crescimento em algumas marcas.

Existem muitos sectores, como as criptomoedas, que registaram um crescimento significativo, nomeadamente plataformas como a Bitcoin Revolution, que é um software de negociação de ponta que permite obter acesso direto para negociar uma ampla gama de ativos financeiros globais.

competitive research tools  

Os supermercados, por seu turno, tiveram um incremento de 35%. Para estabelecer uma comparação, observemos que setores como os do entretenimento, viagens e restauração tiveram perdas entre os 25 e os 50%. As entregas ao domicílio de serviços como a Glovo e a Uber Eats estão também a registar aumentos, entre os 30 e os 51%.

Um dos mais recentes casos de estudo em Portugal é o do novo supermercado online 360hyper.pt, que conta com uma oferta de mais de 5 mil produtos entre mercearia, frescos, congelados, mas também produtos de higiene pessoal e para o lar, bebidas e puericultura.

Detido pela empresa 360imprimir – já com experiência no e-commerce – a marca opera de momento em Lisboa, mas tem planos para se expandir em breve até outros pontos do país. A empresa conta com uma rede de estafetas para além de uma equipa de grossistas e outros parceiros.

Outro exemplo no nosso país foi dado pelo grupo Sea Me que desde 15 de Março tem os estabelecimentos encerrados ao público, mantendo a cozinha a funcionar. Para além de manter o serviço de entrega no seu projeto mais emblemático – o Prego da Peixaria – a empresa criou uma nova marca de hambúrgueres, a Olívia.

Esta funciona em parceria com a Uber Eats e trabalha apenas com entregas ao domicílio, no sentido de satisfazer a necessidade dos clientes habituais dos restaurantes do grupo.

Para além da área da restauração, dos abastecimentos de “emergência” e das compras na área da saúde, outro setor que tem estado em voga no e-commerce durante esta pandemia é o da saúde e bem-estar, sendo esta uma área onde as marcas têm procurado corresponder com uma estratégia digital pró-ativa.

Com ginásios fechados, as casas têm-se tornado em verdadeiros centros de treino, até pelas imensas possibilidades que se abriram ao nível de treinos e aulas online.

No Brasil, sempre uma referência na área dos cuidados com o corpo, a venda de vários acessórios de atividade física que podem ser usados em casa – como elásticos, faixas, cordas e halteres – teve um acréscimo de vendas de 1900 a 2500%. No mesmo registo, equipamentos para pilates e yoga tiveram também um fortíssimo crescimento, figurando também, nesse setor, entre os produtos mais vendidos na internet.

POSTS RELACIONADOS

 

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *