Home / Notícias /

Estudo revela o que os portugueses pretendem remodelar nos seus lares em 2022

Estudo revela o que os portugueses pretendem remodelar nos seus lares em 2022

Share this article

    

Cozinhas modernas no topo das preferências

O portal habitissimo, especialista no setor da construção e obras de remodelação, lançou um inquérito anual aos seus utilizadores para saber o que querem os portugueses dos seus lares em 2022 a nível de remodelações – e o idealista/news compilou os resultados num artigo. Sem surpresa, as cozinhas modernas surgem no topo das preferências dos portugueses como espaço a remodelar.

Antes de mais, vamos às definições: consideremos “remodelações” como obras, reparações ou renovações de um imóvel.

Uma das questões mais pertinentes está relacionada com a questão da propriedade. Isto é, onde é que os utilizadores pretendem efetuar essas remodelações?

83,33% dos utilizadores referiu que pretende efetuar a obra, reparação ou renovação na sua casa principal, enquanto apenas 8% afirmou pretender fazê-lo em propriedades que tem como investimento – seja para alugar ou para vender.

O estudo refere ainda que a pandemia da COVID-19 teve e ainda tem impacto nas decisões dos portugueses, em particular pela forma como a crise económica originada por esta impactou os rendimentos familiares nos últimos dois anos.

Nesse sentido, sublinhamos que 26% dos utilizadores inquiridos no estudo tenha referido que, apesar de ter a intenção de remodelar a casa, esse investimento dependerá da evolução da pandemia da COVID-19 e da forma como esta irá continuar a afetar a economia familiar. 38% dos utilizadores inquiridos no estudo referiram que tinham intenção de renovar a casa durante este ano.

Reparações e manutenções na ordem do dia

O artigo do Idealista/News sublinha uma outra evidência: que a maioria das casas em Portugal são antigas e isso tem expressão clara nos objetivos dos inquiridos para este ano, sinalizados através da opção de levar por diante reparações e operações de manutenção em sua casa.

O aumento brutal dos custos com as contas mensais tem também levado muita gente a trocar de canalizações (para evitar, por exemplo, fugas de água).

Assim, 24% dos utilizadores inquiridos pretende levar por diante trabalhos de reparação e manutenção da canalização da água em 2022, enquanto 18% dos utilizadores inquiridos pretende apenas executar trabalhos de reparação e manutenção da eletricidade.

Seja como for, há uma clara intenção de proceder a estas pequenas obras de requalificação das estruturas essenciais dos imóveis.

Cozinhas modernas, as preferidas do público

A cozinha está claramente no topo das divisões da casa que os portugueses pretendem renovar ou remodelar.

Resultado da antiguidade do mobiliário da cozinha ou da falta de funcionalidade do espaço, 47% dos utilizadores inquiridos pretende entrar no clube das cozinhas modernas, atualizando a sua para padrões mais contemporâneos.

50% of your traffic is mobile - is your WordPress website ready?
 

Depois das cozinhas modernas, as casas de banho surgem em segundo lugar nas preferências dos espaços a modernizar (47%), sendo que 30% dos utilizadores inquiridos declararam pretender renovar o seu quarto.

Eficiência energética, surpresa ou talvez não

De acordo com um estudo do Portal da Construção Sustentável (PCS) – realizado através de um inquérito – citado pela Rádio Renascença, 88% de portugueses “não se sentem confortáveis dentro de casa devido ao frio ou ao calor”.

Quer isto dizer que “apenas 1 em cada 10 portugueses vive numa casa em que a temperatura é satisfatória”. Os números são paradigmáticos desta realidade.

Segundo o mesmo artigo – citando o relatório – para manter a temperatura da sua casa agradável os portugueses têm grandes custos de energia, o que tem levado a agravamentos da fatura na ordem dos 50%. 

Há outro indicador muito esclarecedor que o artigo destaca: de acordo com dados do Observatório da Energia (ADENE), aproximadamente 70% das habitações atualmente certificadas têm baixa eficiência energéticas (C ou menos).

Há quem lembre ainda – e isso foi debatido na mais recente campanha eleitoral para a Assembleia da República – que a média de casas mal aquecidas na União Europeia anda em torno dos 8%, sendo que em Portugal esse número é de 22%.

Em resumo: muito frias no inverno e muito quentes no verão – com implicações claras na nossa qualidade vida – assim são as nossas casas. Isso justifica que essa seja uma preocupação dos portugueses no estudo da habitissimo. Resultado? 60% dos utilizadores inquiridos pretende melhorar o isolamento térmico da casa, substituindo portas e janelas por modelos mais eficientes.

Cozinhas modernas, melhores janelas, reparação e manutenção de canalizações e sistemas elétricos – são estas as preferências dos portugueses para a remodelação das suas casas em 2022.

Tudo isto ainda condicionado pelo peso das consequências da pandemia da COVID-19, que reduziu a capacidade de investimento dos portugueses – ou, pelo menos refreou.

 

Imagem de capa de Andrew Angelov / Shutterstock.com

POSTS RELACIONADOS

 

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published.